5 lugares para visitar no centro histórico de Quito

Quito é um lugar especial para mim. Eu morei na capital do Equador para realizar a pesquisa de campo do meu doutorado. Fiz novos amigos, ampliei minhas perspectivas e não paro de pensar na experiência que tive.

Neste post, pretendo relatar a vocês a parte turística da minha estada por lá e indicar 5 locais para ir no centro histórico. É evidente que posso ter esquecido de algum ou, simplesmente, ter optado por estes. A vida é uma questão de opções. Eu fiz as minhas.

Antes de escrever sobre as minhas indicações, é preciso que você saiba que Quito fica a 2.800m acima do nível do mar. Não sei se foi o nervosismo da chegada, mas logo após sair do aeroporto tive a nítida impressão de que estava com um pouco de falta de ar e que tinha uma leve dor de cabeça, coisas que não são comuns em mim. Mas pode ter sido o nervosismo…

Apesar de poder relatar a minha experiência com a altitude em outro post, adianto que só me adaptei completamente (nunca a adaptação é completa!) depois de duas semanas.

Mas por que o centro histórico? Para mim, a partir do centro histórico (ciudad vieja) você pode conhecer vários outros locais, como a Plaza Grande, o Panecillo e as calles de las Siete Cruzes e La Ronda. Além disso, Quito possui o centro histórico mais preservado da América Latina, razão pela qual ele foi, juntamente com a Cracóvia (Polônia), o primeiro a ser declarado pela UNESCO como Patrimônio Cultural da Humanidade, ainda em 1978.

É possível percorrer o centro histórico a pé e se perder em suas ruas. Mas tome cuidado com duas coisas: a primeira é a altitude, que pode ser traiçoeira (ele fica a 2818m acima do nível do mar), e a segunda são pequenos delinquentes, que podem tomar os seus pertences. Quando estive lá todos os nativos me avisaram sobre isso, mas não tive problema. Com o tempo, eu relaxei.

Minha sugestão: tome o cuidado que julgar necessário. De um modo geral, Quito não é uma cidade violenta, ao menos se compararmos com São Paulo ou Caracas.

1. PLAZA GRANDE

plaza grande2

Como o centro histórico é um espaço enorme, se você não conseguir chegar só a partir do mapa (eu fui caminhando do meu horstel), sugiro que peça para ir à Praça Grande (Plaza Grande), também conhecida como Plaza de la Independencia, que é o “centro” do centro histórico. Lá existe um monumento que é inconfundível e presta homenagem aos herois da independência do país, que ocorreu em 10 de agosto de 1809.

Tudo ocorre na Plaza Grande. Nas vezes em que fui (fui várias enquanto estive lá!), vi pastor pregando em frente à Catedral, gente vendendo chá de coca (té de coca) e até um movimento defendendo a Revolución Ciudadana, como ficou conhecida a década governada pelo presidente Rafael Correa.

2. PALÁCIO DO CARONDELET

palacio

Em uma das pontas da Plaza Grande se encontra o Palacio del Carondelet, que é a sede da presidência da república e é possível realizar uma visita guiada. Como todo palácio presidencial, ele é muito bonito e elegante. O de Quito ainda possui a arquitetura típica do período colonial. É possível conhecer uma série de objetos que o Presidente ganhou de outros Estados, além de alguns setores, como o Salão Amarelo (Salón Amarillo), o Salão dos Presidentes (Salón de Presidentes) e o Salão dos Banquetes (Salón de Banquetes).

A entrada é gratuita, mas você tem que pegar o ingresso (billete) na recepção até 12h e tem que deixar o seu passaporte por lá, o que ao meu ver é a parte ruim, pois o passaporte é o documento oficial do estrangeiro.

3. CALLE DE LAS SIETE CRUZES

siete cruzes4.jpg

Saindo do Palácio Presidencial você pode pegar a Calle de las Siete Cruzes e percorrer as sete igrejas que ficam nesta conhecida rua. Para quem gosta de turismo religioso não tem nada melhor. Eu destaco a Iglesia Compañia de Jesus, que é a mais representativa do período barroco na América do Sul. Por fora e por dentro existem esculturas da chamada Escuela Quiteña, que são todas muito bonitas e preservadas. Sugiro que se observe as pinturas, pois elas não possuem assinatura. Um nativo me informou que é porque elas foram feitas pelos indígenas da região e o colonizador não iria dar crédito a eles.

A Igreja pode ser visitada de segunda a sexta de 9h30 às 17h30, aos sábados, de 9h30 às 16h30, e aos domingos, de 13h30 às 16h30. A entrada custa 4 dólares. Mas percorrer a rua já é suficiente na minha opinião.

4. PANECILLO

G0223727.JPG

O Panecillo é um monte que fica no centro da cidade e seu destaque é uma escultura de uma virgem com asas (virgen alada) de 40 metros, que é formada por 7.000 peças de alumínio que se encaixam como se fosse um puzzle. Ela é a representação da Virgem de Quito e está virada para o norte. Os nativos dizem que é por isso que o norte é mais próspero que o sul.

Para chegar lá pegue um táxi (do centro histórico, $ 4,00) ou um ônibus ($ 0,25). O trajeto é muito perigoso. Pensei em ir a pé, mas os policiais não recomendaram.  É possível subir e ter a melhor vista do centro histórico. Leve casaco, pois lá é bastante frio.

5. CALLE LA RONDA

la ronda.jpg

Se o centro histórico é o lugar para você passear sem muito pressa ou compromisso, isso se aplica com mais força à La Ronda. Só fui uma vez com os colegas de trabalho e se eu pudesse voltar atrás teria ido mais vezes. É um lugar pitoresco, onde você pode encontrar tanto lojinhas para comprar souvenires quanto pequenos estabelecimentos que vendem comida local. Das comidas, eu destaco o encebollado e o chocolate ecuatoriano.

É isso. Espero que vocês gostem de Quito. Espero poder voltar em breve, seja à trabalho seja à lazer.

***

BLOG SUSTENTADO PELOS LEITORES. Se este post lhe ajudou, ajude financeiramente o blog a produzir conteúdos de forma independente. Clique no botão abaixo para doar qualquer valor😉

donate-pt

Anúncios

Deixe uma resposta